Dias de Poesia

NOITE DE LUA CHEIA

Sua voz cantava à noite,lovers
suave como uma Barcarola.
Parecíamos estar ao balançar dos ventos,
e este rítmo sugeria um passeio de gôndola,
sobre águas de lua cheia!
E a lua?
A lua por sobre seus ombros,
desfolhava todas as notas petulantes
de nossas vozes,
que se uniam às brisas das montanhas,
inebriando todo nosso desejo.
Nossos sorrisos abriam-se como flores,
que claros em suas cores,
ressaltavam-se naquela noite única,
inaugurando a primavera em nossas vidas.
E assim dois amantes se lançavam
aos céus e às estrelas,
e sobretudo um ao outro,
ciando todas as descobertas.
Uma magia envolvente de desejo e sensualidade;
e ali naquela casa branca,
à beira do rio,
fizemos nosso recanto.
E ocultamos ali,
de noite e de dia,
o amor e a poesia.
E então,
quando a noite enrolava os descampados,
o monte,
o mar,
a selva,
e nossa palhoça à beira do rio,
íamos!
Dáva-mos!
E ao som doce do piano,
ao sabor vinolento em nossos lábios,
alongávamos ali nossa paz de amantes esquecida.

                                    Eddie de Abreu, Rio de Janeiro – 31/05/86

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s